Crítica de HYLIDAE – “Unbreakable Curse”

Crítica de HYLIDAE - “Unbreakable Curse”Desde Río Branco, Acre (Brasil) nos llega HYLIDAE, una interesante banda de Thrash/Death Metal que nos ofrece un disco directo y acelerado con lo mejor del género. Si bien es cierto su música es thrash metal clásico, la agrupación combina pasajes con voces clásicas del thrash y otras más death metal como sucede en el corte «Warrior Spirit». Esta combinación vocal de su vocalista Aldine Padula le ofrece a la banda distintas texturas a su nueva obra, todas dentro de una vertiente extrema muy  bien cuidada, gracias a la contundencia de la parte rítmica y cortantes riffs y solos.

Otra particularidad que me llamó la atención al escuchar el disco, es que al inicio no es extraño caer en la comparación de la voz de Padula con Fernanda Lira, de los primeros discos de la formación original de Nervosa y que tan buenos recuerdos nos traen a la memoria. Ya no solo porque ambas bandas procedan de Brasil, sino que el registro vocal es muy parecido lo que no deja de ser un detalle llamativo.

Pero comparaciones a parte la banda posee un sonido y unos temas muy originales dentro de la vertiente más clásica o vieja escuela del género, lo que no deja de ser también un detalle positivo. No es extraño que su escucha nos remita a los primeros años del estilo con un sonido más elemental pero no por ello menos significativo. Ya que es su su fuerza y poder de enganche lo que hace de este disco una pieza muy interesante de degustar, sin olvidar ese juego vocal, propio de Aldine entre voces típicas thrash y otras más extremas propias del death metal. Será por tanto esta combinación la que marque el buen gusto de la banda en el devenir de sus diez nuevos temas.

Hay temas que poseen singulares introducciones a modo de sonidos de películas como sucede con «Peoples Temple» que dan pie a interesantes detalles que adornan sus canciones. Si bien no sucede en todos, pero en cortes como este, le tiñen al tema de una peculiar forma de iniciarlos y por ende de llamarnos la atención. «Peoples Temple» posee facetas muy variadas, siempre con el juego vocal, pero además con unos cambios de ritmo muy elocuentes.

«Serial Killer» son de esos temas que te levantan de la silla por su velocidad y vertiginosos cambios de ritmo. «Aleph» sigue la estela del tema anterior en fuerza y cierran con «A Ghost Of Hank Williams» con una original entrada acústica y además es un tema extenso que da pie a que los músicos nos ofrezcan su amplio abanico de experiencia y calidad en un corte muy diverso. Pero es sin duda ·»Home Of Souls» la que mejor ejemplariza la fuerza de esta banda y que a la postre posee un vídeo muy directo que no dejará a nadie indiferente.

“Unbreakable Curse” se compuso durante 2019 con planes para lanzarse en 2020, sin embargo, debido a la pandemia COVID-19, su lanzamiento oficial se realizó el 31/01/2021 en todas las principales plataformas de transmisión en asociación con Sangue Frio Produções & Records y obtenga su versión física en los próximos meses.

El disco fue grabado en Rio Branco – Acre (Brasil) en RB Studio por José Risley y fue producido por Roberto Bala, mientras que la mezcla y masterización estuvo a cargo de Davi Serra Barroso (Máxima Violencia Producciones – Fortaleza – Ceará – Brasil).

Un disco muy intenso dentro de lo que es el thrash metal, con voz femenina fuerte y que nos evoca a la esencia misma del estilo, lo que no deja de ser otro de sus puntos fuertes, comparativas a parte con otras cantantes o bandas, HYLIDAE posee su propia personalidad, que engancha y que sin duda complacerá a los gustos más exquisitos.

ENGLISH:

From Rio Branco, Acre (Brazil) we get HYLIDAE, an interesting Thrash / Death Metal band that offers us a direct and accelerated album with the best of the genre. Although it is true their music is classic thrash metal, the group combines passages with classic thrash voices and other more death metal, such as in the song «Warrior Spirit». This vocal combination of their vocalist Aldine Padula offers the band different textures to their new work, all within a very well cared for extreme aspect, thanks to the forcefulness of the rhythmic part and cutting riffs and solos.

Another peculiarity that caught my attention when listening to the album, is that at the beginning it is not strange to fall into the comparison of Padula’s voice with Fernanda Lira, of the first albums of the original Nervosa formation and that they bring such good memories to us. the memory. Not only because both bands come from Brazil, but the vocal register is very similar, which is still a striking detail.

But comparisons aside, the band has a very original sound and themes within the most classic or old-school side of the genre, which is also a positive detail. It is not surprising that his listening takes us back to the early years of the style with a more elemental sound, but no less significant for that. Since it is his strength and hooking power that makes this album a very interesting piece to taste, without forgetting that vocal game, typical of Aldine, between typical thrash voices and other more extreme voices typical of death metal. It will therefore be this combination that marks the good taste of the band in the future of its ten new songs.

There are songs that have unique introductions like movie sounds like «Peoples Temple» that give rise to interesting details that adorn their songs. Although it does not happen in all, but in cuts like this, they dye the subject with a peculiar way of starting them and therefore attracting our attention. «Peoples Temple» has very varied facets, always with the vocal game, but also with very eloquent rhythm changes.

«Serial Killer» are one of those songs that lift you out of your chair due to their speed and dizzying rhythm changes. «Aleph» follows in the wake of the previous song in strength and closes with «A Ghost Of Hank Williams» with an original acoustic entrance and it is also an extensive song that allows musicians to offer us their wide range of experience and quality in a very diverse cut. But it is undoubtedly · «Home Of Souls» the one that best exemplifies the strength of this band and that ultimately has a very direct video that will not leave anyone indifferent.

«Unbreakable Curse» was composed during 2019 with plans to launch in 2020, however, due to the COVID-19 pandemic, its official launch was made on 01/31/2021 on all major streaming platforms in association with Sangue Frio Produções & Records and get your physical version in the coming months.

The album was recorded in Rio Branco – Acre (Brazil) at RB Studio by José Risley and was produced by Roberto Bala, while the mixing and mastering was in charge of Davi Serra Barroso (Máxima Violencia Producciones – Fortaleza – Ceará – Brazil).

A very intense album within what is thrash metal, with a strong female voice that evokes the very essence of the style, which is still another of its strong points, compared to other singers or bands, HYLIDAE It has its own personality, which is engaging and which will undoubtedly please the most exquisite tastes.

Crítica de HYLIDAE - “Unbreakable Curse”

PORTUGUÊS:

De Rio Branco, Acre (Brasil) temos o HYLIDAE, uma interessante banda de Thrash / Death Metal que nos oferece um álbum direto e acelerado com o melhor do gênero. Embora seja verdade que sua música é thrash metal clássico, o grupo combina passagens com vozes thrash clássicas e outras mais death metal, como a música «Warrior Spirit». Essa combinação vocal da vocalista Aldine Padula oferece à banda diferentes texturas para seu novo trabalho, tudo dentro de um aspecto extremo muito bem cuidado, graças à contundência da parte rítmica e corte de riffs e solos.

Otra particularidad que me llamó la atención al escuchar el disco, es que al inicio no es extraño caer en la comparación de la voz de Padula con Fernanda Lira, de los primeros discos de la formación original de Nervosa y que tan buenos recuerdos nos traen a memória. Não só porque as duas bandas vêm do Brasil, mas o registro vocal é muito parecido, o que ainda é um detalhe marcante.

Mas comparações à parte, a banda tem um som e temas muito originais dentro do lado mais clássico ou old school do gênero, o que também é um detalhe positivo. Não é surpreendente que sua audição nos leve de volta aos primeiros anos do estilo com um som mais elementar, mas não menos significativo por isso. Pois é a sua força e poder de enganchar que faz deste álbum uma peça muito interessante para provar, sem esquecer aquele jogo vocal, típico de Aldine, entre vozes thrash típicas e outras vozes mais extremas típicas do death metal. Será, pois, esta combinação que marca o bom gosto da banda no futuro das suas dez novas canções.

Existem canções que possuem introduções únicas, como sons de filmes como «Templo dos Povos», que dão origem a detalhes interessantes que adornam suas canções. Embora não aconteça em todos, mas em cortes como este, eles tingem o assunto de uma forma peculiar de iniciá-los e, portanto, chamar a nossa atenção. “Peoples Temple” tem facetas muito variadas, sempre com o jogo vocal, mas também com mudanças de ritmo muito eloquentes.

«Serial Killer» é uma daquelas canções que te levanta da cadeira devido à velocidade e às mudanças vertiginosas do ritmo. «Aleph» segue em força a canção anterior e fecha com «A Ghost Of Hank Williams» com uma entrada acústica original e também é uma canção extensa que permite aos músicos nos oferecer sua ampla gama de experiência e qualidade em um corte muito diversificado. Mas é sem dúvida · “Home Of Souls” o que melhor exemplifica a força desta banda e que acaba por ter um vídeo muito direto que não vai deixar ninguém indiferente.

«Unbreakable Curse» foi composta durante 2019 com planos de lançamento em 2020, porém, devido à pandemia COVID-19, seu lançamento oficial foi feito em 31/01/2021 em todas as principais plataformas de streaming em associação com a Sangue Frio Produções & Records e obtenha sua versão física nos próximos meses.

O álbum foi gravado em Rio Branco – Acre (Brasil) no RB Studio por José Risley e foi produzido por Roberto Bala, enquanto a mixagem e masterização ficaram a cargo de Davi Serra Barroso (Máxima Violencia Producciones – Fortaleza – Ceará – Brasil).

Um álbum muito intenso dentro do que é thrash metal, com uma forte voz feminina que evoca a própria essência do estilo, que é outro de seus pontos fortes, se comparado a outros cantores ou bandas, o HYLIDAE It tem uma personalidade própria, que é envolvente e que sem dúvida agradará aos paladares mais requintados.

PORTUGUÊS

 

Temas:

1. Hylidae
2. Hell Is Hollow
3. Home Of Souls
4. Weak Minds
5. Warrior Spirit
6. Losing Myself
7. Peoples Temple
8. Serial Killer
9. Aleph
10. A Ghost Of Hank Williams

 

Formación:

Aldine Padula – Voz
Erbeson Chaves – Guitarra
Anderson Cassidy – Bajo
Bullet Padula – Batería

Links:

https://www.facebook.com/hylidaeband
https://www.instagram.com/bandahylidae
https://www.youtube.com/channel/UC6-M-H5sIxXMR7OGugkjklw
https://sanguefrioproducoes.com/artistas/HYLIDAE/76

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.